terça-feira, outubro 28, 2014

Ainda estou sinceramente a rir

Ando por aqui há muito tempo, quase 9 anos  (em blog´s).
E sou sincera, quando penso bem, adorava quando não havia redes sociais. viver na ignorância é uma bênção que está ao alcance de poucos.

No outro dia no meu feed de noticias do facebook, aparecia um contacto meu, muito indignada... com essa classe que são os fotógrafos de casamentos. Dizia então, que não estão actualizados e que se deviam actualizar, porque não podia ser assim. Aí que não, os convidados exigirem fotos não pode ser.

E pensam vocês, então é uma super fotografa de casamentos que anda com o negocio estragado por causa dessa gente que agora tem um dlsr e pensa que é fotografo?
Bem digo-vos eu, é uma fotografa formada à meses, que sentiu o chamamento, da fotografia num dia de chuva e é daquelas que coloca frases do género "escolhe uma profissão que ames e não terás que trabalhar um único dia". Quando digo formada, é formada porque tem uma dlsr, e .... mais nada.

Fico sempre a pensar, que raio passa pela cabeça desta gente. Gente que se licenciou e mais tirou mestrado numa área... e que se calhar porque não encontram trabalho nessa área. Acordam um dia, e dizem "olá mundo, sou fotografa".

Eu estudei no ar.co, paguei... e bem. Sei que desse lado, podem estar a pensar "e???????". Sei que dizem, és normal, és mais uma, não tens nada de especial. Ok, aceito isso.... mas estudei e por não ser um curso superior até sinto um certo desconforto em dizer que sou fotografa.
Mas dediquei 3 anos da minha vida (estão aqui no blog), a estudar a aprofundar os meus conhecimentos. Se calhar os 6 mil euros em propinas, tinham-me dado para 3 máquinas de gama superior, ou lentes.... ou o que quer que seja.

Acreditei que ao estudar, estava a melhorar e possivelmente a servir melhor quem me possa procurar.

No entanto, não. Lá vem uns quantos e umas quantas com o chamamento e pimbas, admiro a coragem que esta gente tem em fazer casamentos. Eu tremia toda, porque a responsabilidade é grande. não é clicar no botão que esta em modo automático e depois ir ali ao photoshop e dar-lhe um tratamento manhoso.

4 comentários:

cila disse...

A minha filha também andou na Etic, e embora não fosse tão caro como na Arco, bem me custou a pagar e passados 6 anos continua sem oportunidade de exercer a profissão que escolheu e vai ter que tirar mais cursos de atualização se quiser continuar a sonhar com essa possibilidade. Tá muito difícil, continuam a funcionar as cunhas e o passa a palavra ao amigo, só vinga quem consegue entrar no meio e não quem realmente apresenta um trabalho de qualidade.

Ana Sofia Santos disse...

Cila fico contente que alguém me entenda. O Etic pode ser mais barato mas ainda é caro-te.
Quem quer muito tem de batalhar imenso, boa sorte para a sua filha

Anónimo disse...

Olá Ana,

Não sou fotógrafa, mas gosto muito de fotografia (atenção, gosto com a plena noção do que não sei, e não com falsa modéstia de pseudo-autodidata, sei muito pouco, que me levou anos a muita leitura técnica a aprender, mas sei que o pouco que sei é bem mais que o que essas pessoas que descreves sabem, o que me assusta, porque eu jamais cobraria por algo que nem de longe domino). E confesso que mesmo não sendo fotografa penso imenso em quem estudou e se formou em fotografia e no sentimento que terá perante o atual estado da coisa. Vejo trabalhos mesmo muito medíocres (que a minha mãe com centenas de disparos à toa conseguiria), que provam por si só que a pessoa que está atrás da lente (lente de alta gama, claro) não tem qualquer noção sequer das coisas básicas (e obviamente, nem as básicas chegam para se ser fotógrafo).

Identifiquei-me imenso com a tua frase do "tremer" em relação aos casamentos. Acho que é a tal falta de noção do que não sabem que lhes descansa essa parte. Eu jamais conseguiria sequer arriscar, mesmo que me pedissem gratuitamente (amigos ou familiares), quanto mais estando a prestar um serviço, cobrando um balurdio, num dia tão importante, e pior, num dia em que tens de fotografar os momentos que são imediatos, que não se repetem para corrigires algo. No entanto, noto que as pessoas ficam muito satisfeitas com os resultados finais, e como a grande maioria do publico são pessoas cuja cultura fotográfica as faz aceitar aqueles trabalhos como fantásticos, lamento mas creio que pelo menos nos próximos anos esta realidade se mantenha.

Ana Sofia Santos disse...

Obrigada pelo teu comentário.
Vai-se manter a gravar, até que outra coisa qualquer pegue moda.

Mas é isso mesmo, tenho visto conhecidos a casar e a ter filhos e a fazer sessões fotográficas de envergonhar a calçada. no entanto, lá esta tudo contentinho a gostar imenso.
eu tenho a teoria que basta colocar um efeito sobre aquilo para acharem fantástico.

Obrigada pelo comentário :)